Mensagens e Depoimentos - Paroquianos


Dona Cícera e Seu João Leite

     Mudamos aqui no ano de 1981, era só mato e pomar de laranja, eram poucas casas, mais ou menos 10, não tinha luz e nem água, a água era do poço.

     Era celebrada a missa no seu Bessi e depois começou a celebrar nas casas, a 1ª missa foi na minha casa e a 2ª missa na Dona Maria, daí não demorou muito tempo pra construíram um cobertinho com folhas de zinco e a missa começou ser celebrada lá e começou a formar uma comunidade.

     A 1ª festa junina foi neste local, depois mais pra frente foi construído o barracão grande de bambu, e neste outro já tinha mais festas, quermesses e festas juninas e outros encontros da comunidade. Ah, eu me lembro de um almoço que fizemos na minha casa quando encheram a laje da casa paroquial, e quando tinha quermesse os alimentos que eram doados eram guardados na minha casa, era tão gostoso aquele tempo, que saudade.

     Eu desejo à nossa paróquia, muito anos de vida, que cresça mais na fé e no amor.

 


Benedita (mora no bairro há mais ou menos 25 anos)

     Naquela época havia 3 casas cercadas por pomar de laranja e limão. Devagar foi mudando mais gente. Uma grande dificuldade era a falta de creche para se deixar as crianças para trabalhar. Além disso, a "molecada" ia a pé para estudar na Boa Vista e depois para o "Clube do Leitinho". O Padre Amador rezava num barracão onde atualmente é a casa paroquial. "Agora melhorou bastante: tem escola, creche, divertimento. Tem o barracão (salão paroquial) que ajuda bem quem precisa".

 


Leila Bocchi e Dona Maria

     O que deu origem ao Bairro Jardim Paraíso foi o sítio que era dos tios e do pai (Adelino Bessi). Em 1979, começou o loteamento da parte de baixo que era pasto, plantação de algodão e amendoim. A grande dificuldade foi a demora para asfaltar.

     Toda quarta-feira tinha novena. Tinha um barracão, feito de zinco, onde o padre Amador rezava. A capela que se tinha era muito pequena, tinha pouca participação. "Hoje a comunidade cresceu muito (100%) com um pároco – coisa que não se tinha. Espero que continue, cada vez melhor; cada vez mais apareçam mais pessoas para colaborar".

 


Antonio e Doraci Bessi (moram há aproximadamente 41 anos no bairro, sendo desses, 30 anos na casa atual)

     Era um mangueirão de porco e curral de vaca. Havia poucas casas. 4 metros pra baixo da casa, tinha uma capela onde se rezava. O padre da época era o Padre Amador. Quase toda noite rezava-se o terço. Pra cima da casa era pasto, depois começou o loteamento. A sugestão do nome da comunidade foi dado pelo Savegnago.

 


Antonio e Antonia Magnani (moram no bairro desde 1982 - 28 anos)

     O bairro era mato e pomar de laranja. No quarteirão da casa, havia uma casa. No bairro, tinham poucas casas, tinha muita morte. Para ir ao centro, tinha-se ônibus apenas umas duas vezes ao dia, ia-se mais a pé.

     Melhorou muito com o asfalto. Depois veio a igreja (de tijolo). Tinha um barracão onde atualmente é a casa do padre, antes rezava-se nas casas com o Padre Amador. Rezava-se também na colônia do Toriba. Raras vezes, rezava-se a missa.

     Onde é a igreja, hoje, havia um mastro para definir onde seria a igreja. Antes da igreja foram feitos três barracões de bambu. Recolhia-se alimentos para as festas.

     A paróquia fez muita coisa boa. O casal sempre sonhou em morar perto da igreja e foi quem doou a primeira imagem de São Sebastião. Os primeiros ministros foram: Antonio e Antonia, Abel e Toninha.

     "A gente ficou muito feliz em ajudar a construir a igreja. Que ela cresça e seja sempre uma paróquia acolhedora".

 


Diácono Achiles Bianchini Filho
Paróquia: Gerada na Fé, Geradora de Fé

     Celebramos, com alegria, os dez anos de caminhada paroquial. Celebrar é sempre atualizar o passado, extraindo as lições, para alegrar-se com as vitórias e aprender com os erros e dificuldades enfrentadas, a superar os novos desafios com novas respostas. Celebrar é sempre fazer memória do passado, reconhecendo nele a presença de Deus para, no hoje (momento presente) renovar as esperanças e continuar a caminhada.
     A história de nossa paróquia está entrelaçada com a história de vários moradores de nosso bairro. Alguns que já não estão entre nós, mas ajudaram a escrevê-la e nos deixaram saudade. Também de outros que continuam na caminhada para completar a corrida e receber a coroa reservada, pelo justo Juiz, aos que assumiram com fé e perseverança o bom combate. Irmãos que buscaram e buscam construir um bairro melhor, uma convivência mais fraterna. Que não se conformaram ou aceitaram nossa realidade de sofrimento e pobreza como conseqüência do destino ou resultado do acaso. Assumiram na fé a história de nosso bairro, a luta por educação, transporte, saneamento, saúde... rumo a concretização do Reino na vida do povo.
     Ao celebrar a história de nossa comunidade, celebramos a história de cada um de nós, dos grupos de jovens, dos encontros de quarteirões, dos homens e mulheres que despertaram para a fé a partir da reflexão da Palavra de Deus e da Eucaristia. Nossa comunidade proporcionou e continua a proporcionar acolhimento, desenvolvimento pessoal e espiritual. Local do encontro com Deus, com o irmão e consigo mesmo, do desabrochar das vocações e do compromisso missionário de evangelizar.
     Agradeço a Deus por fazer parte da história desta paróquia, na qual me encontrei, descobri meu chamado e missão, sobretudo, pude fazer a experiência pessoal e comunitária com o Ressuscitado. Peço a Deus que ela continue a ser berço e santuário da Vida.

 


Seminarista Eder Junior Galbier
Todos Fazemos Parte Dessa História

     Participar dos dez anos da querida Paróquia São Sebastião é, sem dúvida, motivo de grande alegria, pois, é a história de uma comunidade que, desde o início, lutou por seus ideais. Essa festa retrata, concretiza os desejos de muitos irmãos e irmãs empenhados no serviço à Igreja. É possível olhar para essa história e ver os rostos de pessoas que, embora não estejam mais entre nós, deixaram suas marcas eternizadas.

     A essa comunidade onde cresci, que me fez perceber o despertar de um chamado, desejo prosperidade e empenho e fidelidade na divulgação da mensagem de Cristo, por meio da intercessão de São Sebastião, mártir e fiel testemunha do Evangelho.

     Parabéns a toda comunidade, pois essa festa só se tornou possível graças ao empenho de cada um.

 


Seminarista Willian Juvenal Marcelino

     Pela convivência que tive nesta paróquia o que posso declarar que é uma comunidade maravilhosa que vive os planos de Deus com amor que transmite principalmente para os cristão a verdadeira fé que deve ter em sua vida cotidiana.

 


Irmã Silvana, Missionária Claretiana

     "Eu te dou graças, SENHOR, de todo coração: pois ouviste as palavras da minha boca".
     Por tuas mãos de infinita bondade, concedestes a esta cidade de Matão a alegria de uma paróquia dedicada a cuidar dos excluídos, construindo-a com força, garra e vontade do povo de Deus. Alicerçada na Palavra e na Eucaristia realizada em ranchinhos.... Mas a união do povo fez acontecer o sonho de Deus. O surgimento da Paróquia São Sebastião, idealizada e sonhada por muitos, concretizadas por poucos.
     Parabéns a todos que fizeram esta história acontecer e àqueles que estão dando continuidade a esta obra já começada. Dez anos de lutas, sofrimentos, conquistas e vitorias. Peço ao SENHOR, tua bondade dura para sempre: não abandones a obra de tuas mãos, aumentando a fé, esperança e o amor do teu povo.

 


Diácono Antônio Claudemir da Silva

     Dos 10 anos da Paróquia São Sebastião, 7 anos estive presente, caminhando junto. Fui ordenado em setembro de 2003 e até hoje exerço meu ministério nesta comunidade. Escolhi como lema de ordenação a resposta de Samuel ao chamado de Deus: "Fala Senhor que teu servo escuta" (ISam 3,10). Logo após a ordenação nosso Bispo Diocesano me pediu que exercesse meu ministério nesta paróquia e, escutando a voz do Senhor me coloquei a disposição. Aqui encontrei pessoas comprometidas com a comunidade, amigos, uma comunidade que ora e trabalha. Me sinto feliz de fazer parte desta caminhada e peço as bênçãos de Deus para a paróquia, suas comunidades, pastorais e movimentos. Sob a proteção do Mártir São Sebastião, nosso padroeiro, queremos caminhar construindo uma Igreja em comunhão e participação, testemunhando Teu Reino de amor e justiça junto aos sofredores na sociedade atual. Amém.